Sargos - Mar que dá....mar que tira

Pois é com a mudança do tempo e entrada dos mares de inverno começou a ser praticamente impratícavel pescar à bóia em muitos dos pesqueiros que frequento.
Como muitas vezes o verdadeiro objectivo é ir dar uma volta, respirar o ar do mar e destressar os dias não se dão por perdidos.
Combinei com o Bernardo ir ver como estavam alguns pesqueiros e ver se os sargos já tinham debandado de vez ou se ainda havia um ou outro que se tivesse atrasado e por outro lado espiar uns buracos para preparar umas batidas ao robalo nas proximas noites frias que se avisinham.
As previsões eram de mar na casa dos 2 metros mas a crescer para 3 à hora da maré, algum vento e a principal preocupação era o espaçamento de onda na casa dos 15 que traria concerteza perigo á zona que optámos bater.
Descendo ao primeiro pesqueiro ainda no lusco-fusco fomos surpreendidos com mar verde e coroas de areia encostadas. Neste primeiro pesqueiro foi quase impossível fazer alguma coisa pois o mar não deixava pescar e a água ia ficando acastanhada da areia que se levantava.
Optámos por agarrar nas coisas e fazer mais uma boa caminhada a pé até um local onde com água seria pelo menos possível fazer as 2/3 horas da maré-cheia.
Pesqueiro manhoso nestas condições mas seria a unica hipotese de pescar neste dia. Mal chegámos fomos logo "abençoados" por uma onda enorme que fez questão de nos meter a escorrer dos pés à cabeça. Retirámos o material da zona e voltámos já que mais molhados do que já estávamos era impossível. Entretanto fizemos algum engodo de guerra e de imediato começámos a sentir sargotes que com o decorrer da pesca se atulharam no pesqueiro. Impressionante o numero de sargotes palmeiros que capturámos nesta jornada e calculo que deviam estar às centenas na zona (motivo de grande satisfação). Pelo meio das capturas e devoluções lá iam aparecendo uns sargos melhores que se guardaram na casa das 400/800g tendo o maior exemplar sido capturado no meu ultimo lançamento e pesou 1.300g. Saliento ainda o meu azar com as douradas pois mais uma vez lá pendurei uma que depois de a ter encostado com cuidadinho acabou por desferrar...é o normal.
O mar foi crescendo muito e tornou a pesca impossível e em termos de segurança as coisas também estavam a descambar pelo que demos por terminada mais uma jornada com um resultado que apesar de fraco superou as expetativas do que se estava à espera com tais condições.

O resultado da nossa pesca




Cumprimentos


Sérgio Tente

Classificação:

6 Fazer comentário:

PêJotaFixe disse...

Boas, Sérgio!
Normalmente, com esses mares a subir a bitola do peixe também aumenta, na proporção. Aqui em baixo, este ano, também há muita criação, o que é sempre bom de assinalar. De vez em quando também saem umas surpesas douradas...e às vezes também se esfumam... eheheheh Vamos aguardar por um pouco mais de chuva e mar para ver se os grandes encostam em força.
Outra coisa...o Pedro está de castigo??? ahahahahah Há muito tempo que não dá noticias...

Abração ; ))

Sergio Fernandes disse...

Olá Sérgio
Que grande molha ,no domingo levei uma até ao tutano.
É sempre um prazer ver as tuas sargalhadas
abraço

Sérgio Tente disse...

Boas Paulo,

Sim de facto o objectivo era tentar uns sargos proporcionais ao tamanho do mar mas tal n~ºao aconteceu e só apareceu o grande mesmo já para o final.
É normal nesta época os sargos grandes abalarem aqui da zona e aparecerem sargos mais pequenos em muita quantidade. É assim todos os anos. Mais 1 ou 2 meses aqui na zona desaparecem todos por completo. Agora vou começar a mudar de ares e disfrutar dos marzões de inverno para aquelas pescas brutas que eu tanto gosto.
Olha o Pedro agora só quer é trabalhar mas vai dar notícias em breve.

Grande abraço

Sérgio Tente disse...

Boas Sérgio,

Muito obrigado.
Aí pela zona onde pescas dá umas molhas boas e nesta altura gosto de dar aí um salto para aproveitar os mares grandes para fazer uns sargos.
Pode ser que nos encontremos.

Abraço

Tasko disse...

Boas Sérgio!
O mar não tem estado para brincadeiras mas se não pescarmos não apanhamos nada de certeza!
No sábado também fui lá com o mar grande(4mts) e os tais entraram no pesqueiro mas falhámos duas vezes a pôr a rabeca e o mar não deu segundas oportunidades e foram crescer..
Abraço e se vieres para estes lados apita!

Sérgio Tente disse...

Boas Tasko,

Sim os mares andam muito fortes e por aqui começa a não haver condições paea se conseguir pescar. As águas estão muito barrentas em toda a costa e espero que para a semana vá aí fazer uma visita aos teus quintais mas para tal tem que estar o mar no ponto. São 260km ir e vir:) mas gosto muito de pescar por essas bandas, aliás todos os anos faço umas incurssões e todos os anos consigo muito bons resultados.

Abraço