Sargos - Trovoada? mas qual trovoada??

No dia desta jornada eu e o Nuno combinámos ir dar uma saltada até ao mar e escolher um pesqueiro que ficasse perto do carro pois as previsões meteorológicas davam chuva forte e trovoadas ainda para mais o mau tempo estava previsto para a tarde altura essa em que se dava a praia mar e que seria aproveitada por nós para tentar uns sargos.
Pelo caminho via-se já a formação de grandes nuvens que iam lentamente fechando o céu e criando uma tonalidade negra e assustadora para quem vai estar com uma cana de carbono na mão "armado em pára-raios" e isso pouco ou nada me agrada.
Ao chegar ao pesqueiro encontrámos um céu azul, um sol fantástico e umas águas limpas e abertas.
Preparação da jornada, escolhido o pesqueiro e enquanto o temporal não chegava toca de iniciar a pesca. As condições eram pouco animadoras já que as águas abertas, mar pequeno e sol faziam com que se visse o fundo e portanto não seria fácil.
Nas nossas costas quando se olhava para o interior as nuvens davam já mostras de ter iniciado a sua actividade mas por lá sol e calor.
Começámos a nossa jornada e desde logo o peixe começou a dar sinal, os sargos estavam encostados e curiosamente eram de bom tamanho o que para o tipo de condições que estavam foi uma surpresa.
Junto a umas pedras num buraco que gosto muito de explorar dei com eles a alimentarem-se calmamente pois vi-os virar e desta forma com algum ritmo lá fui ferrando alguns bons exemplares que iam tornando a tarde bem agradável. O Nuno a pescar perto mas num pesqueiro diferente não sentia tanto peixe mas foi insistindo e também realizava algumas boas capturas.
Entretanto começam os telefones a tocar, tanto o meu como o do Nuno com pessoas que sabiam que tinhamos ido à pesca e nos perguntavam "Então já estão em casa? não estão à pesca com este tempo pois não?" Soubemos então que em Santarém estava um temporal brutal com chuvadas fortes e trovoada daquelas à antiga. Para nós continuava um dia mravilhoso de calor e por cima de nós nem uma nuvenzinha. De quialquer forma como estávamos muito pertinho do carro estávamos salvaguardados.
Realizámos mais algumas capturas e já ao final do dia viemos sem ter apanhado uma gota de chuva enquanto pescávamos. Pouco depois de sairmos do pesqueiro ferrou-se a chover e até casa igual.
Claro que poucos acrditavam que tinhamos tido um dia daqueles mas como até escaldão traziamos ficaram impressionadas...
A pescaria não foi má mas o dia foi extraórdinário e aparte dos peixes apanhados foi rir desde que chegámos até que abalámos....é o tónico da pesca!!
As nossas capturas

Abraço

Classificação:

6 Fazer comentário:

Pedro Nunes disse...

Boas Sergio!
As vezes as previsões falham, mas normalmente é para pior, n teu caso tiveste sorte, pq foi p melhor... ainda tiraste uns sargos bons.
Saude

Tasko disse...

Boas Sérgio!
Tem me acontecido várias vezes coisas assim, talvez devido á proximidade da serra o tempo é muito instável ás vezes basta passar a serra e está um tempo espetacular, por vezes é o contrário está um temporal.
Fizeram uma pesca bem porreira!
Um abraço

Nuno Caçorino disse...

Excelente pessoal!

Nem que "chova picaretas"... o importante é haver peixe para apanhar!

Belos sargos! Assim é que é bonito!

Abraço aos 2.

NC

Sérgio Tente disse...

Boas Pedro,

Pois o mais normal é mesmo isso e para mim que estou longe do mar por vezes é um descalabro principalmente por causa do vento. O mar mais metro menos metro arranja-se sempre local para pescar mas quando o vento é muito por vezes é impossível arranjar algum cantinho.

Abraço

Sérgio Tente disse...

Boas Tasko,

Pois aí em Sintra como existe a serra é provável que faça um certo microclima mas aqui pelo oeste principalmente nma zona de Peniche não existe serra nem zonas muito elevadas e por vezes o tempo é complatamente o oposto das previsões (e isto acontece dezenas de vezes por ano). Só mesmo lá indo espreitar e depois logo se vê.

Abraço

Sérgio Tente disse...

Boas Nuno,

E mai nada!!!

Abraço