Crankbaits VS Spinnerbaits


Os crankbaits e os spinnerbaits são amostras muito usados em todo o mundo na pesca ao achigã e são das mais usadas no mundo da competição nacional e internacional. Vamos neste artigo tentar explicar qual a base de funcionamento de cada uma e quando deveremos usar uma ou outra.
Iremos começar pelos crankbaits:

O crankbait é uma amostra dura, normalmente de plástico ou madeira com a forma de um peixe mais ou menos alongada dependendo dos modelos que existem á venda no mercado, que tem na sua frente uma paleta na qual se situa um olhal para prendermos o fio, essa paleta faz com que a amostra ao ser recuperada a oscile de um lado para o outro, imitando um pequeno peixe a nadar.
Image Hosted by ImageShack.usAs paletas mais compridas fazem a amostra afundar mais, as curtas fazem a amostra afundar menos, deveremos utilizar o tamanho da paleta conforme a profundidade a que queremos pescar.
Image Hosted by ImageShack.us
Image Hosted by ImageShack.usExistem crankbaits que chegam a atingir a casa dos 5 metros de profundidade, outros que nadam a meia água, na casa dos 2 a 3 metros, crankbaits para águas baixas, que afundam até ao 1,5 mts e existem alguns crankbaits que são trabalhados na superfície de água que afundam no máximo cerca de 20cm.

Spinnerbaits:
O spinnerbait é uma amostra dura também, mas feita em arame em forma de V na qual numa extremidade se situa o anzol e o cabeçote ao qual são adicionadas as saias para ser mais volumoso e atractivo e na extremidade contrária colocam-se uma ou 2 lâminas, para produzir vibração para atrair os peixes.
Image Hosted by ImageShack.usO spinnerbait é uma das minhas amostras favoritas e é uma amostra capaz de produzir grandes exemplares.
Existem spinnerbaits de vários tamanhos e pesos, tudo depende da utilização que lhes queremos dar, se queremos pescar mais fundo ou mais perto da superfície, existem também muitas cores de spinners á escolha do pescador no mercado que temos, sendo que cada pescador tem as suas cores favoritas, mas penso que o branco, o branco e chartreuse , o chartreuse e o firetiger serão das melhores opções nestas amostras.


Utilizações:
Quando o Crankbait e quando o spinnerbait?
Os cranks são amostras muito versáteis pois dão para pescar em todo o tipo de águas e estados atmosféricos, sendo apenas necessário adoptar os diferentes tipos de cranks que dispomos ás condições que se nos apresentem. São amostras que batem muita água em pouco tempo, muito boas para tentar localizar peixes mais activos, quer em águas mais baixas quer em águas mais profundas. Quando pescamos com crankbaits devemos ir variando as velocidades de recuperando e animar a amostra com a ponteira da cana de vez em quando para que com isto a amostra tenha o trabalhar mais errático e chamativo para o mais desconfiado dos achigãs.
São amostras que batem todo o tipo de águas, desde que não haja obstáculos a mais, pois como são amostras providas de 2 fateixas, podem prender-se nas coberturas que se nos apresentem, apesar de muitas vezes quando batem contra um tronco ou uma pedra ,etc são atacadas pelos achigãs.
Se a água que temos para pescar apresenta muita vegetação, árvores submersas, etc prefiro usar os spinnerbaits, que são também amostras que batem muita água e têm a vantagem de se prenderem nas coberturas muito menos que os crankbaits.
Podemos lançar para junto dos ramos ou do tronco de uma árvore sem o risco de a amostra se prender imediatamente nele e muitas vezes assim que ela tocar na agua e começarmos a recuperar linha ela é atacada por um achigã que estava escondido nos ramos ou no tronco da árvore á espera que passasse alguma presa para saciar a sua fome.
Podemos trabalhar os spinner sempre a corricar a uma velocidade mais ou menos constante, podemos deixar a amostra afundar um pouco quando lançamos e depois recuperar um pouco mais devagar para explorar aguas mais profundas, podemos recuperar a amostra muito rapidamente á procura de peixe activo e em águas mais claras para evitar que o peixe não se aperceba que a presa que vai a fugir é artificial, em coberturas gosto de recuperar a amostra junto aos troncos e fazer com que ela bata nos mesmos e deixar afundar um pouco, é uma técnica que tem dado uns peixes grandes...

Image Hosted by ImageShack.usEspero ter conseguido explicar o básico destas 2 amostras tão efectivas, em outros artigos irei falar mais em pormenor das 2 de maneira a que fiquem a conhecer melhor estas amostras tão usadas nas nossas águas,

Até breve,

André Fidalgo
Classificação:

3 Fazer comentário:

Fish Whisperer disse...

Great description of the two kinds of lures.
Well done
Tight lines

swese44 disse...

You have some amazing fish! If you speak any English, please show off some of your catches on FellowFishermen.com. You can share your catches and locations, and find new places to fish with our real-world maps! Thanks!

Milton Morais disse...

Parabens André que grandes achigas...Já tenho saudades de fazer uma pescaria na agua doce :)

Abraço
Milton
http://pescacosteira.blogspot.com/